difusão

O conhecimento, por parte dos cidadãos, do património cultural é a chave para a sua conservação e transmissão às gerações futuras. Além disso, este património pode converter-se num interessante recurso económico para a região onde se encontra. Assim, com o objetivo de dar a conhecer a excepcionalidade destas manifestações artísticas e promover o aumento de visitantes, produzir-se-ão uma série de atividades expositivas, formativas e divulgativas, complementares às oferecidas pelos respetivos centros museográficos.

AÇÃO 1
EXPOSIÇÕES ITINERANTES

Estão previstas a conceptualização e realização de diferentes exposições, cujo objetivo é divulgar as manifestações artísticas do Côa e Siega Verde, que itinerarão por diferentes lugares ligados à arte rupestre paleolítica de Espanha, Portugal e França. Além destas, está projetada outra exposição de maior envergadura sobre a arte rupestre paleolítica que se exporá nas capitais de ambos os países. Esta exposição incluirá reproduções de arte rupestre, objetos originais de arte móvel, utensílios pré-históricos, assim como outros recursos que sirvam para mostrar os valores naturais e patrimoniais dos sítios e do território onde se localizam. O guião e concepção da exposição realizar-se-á em 2020 sob a direção conjunta de uma equipa transfronteiriça e a produção e itinerância em 2021 e 2022.

AÇÃO 2
DIDÁTICA

Pretende-se sensibilizar os cidadãos às políticas de conservação do património arqueológico, dando-se particular atenção ao público escolar e às populações locais. Com vista a isso, pretende-se conceptualizar material didático, apresentar conferências nos centros educativos e organizar oficinas sobre arte paleolítica orientadas para a difusão e promoção dos sítios.

AÇÃO 3
DIVULGAÇÃO

Disponibilizar-se-á um guia sobre os sítios arqueológicos, as suas caraterísticas e os resultados da investigação, assim como um mapa do território transfronteiriço que reflita a riqueza dos seus recursos culturais e naturais únicos. Nos sítios arqueológicos, por outro lado, propõe-se a realização de atividades pioneiras, como sejam visitas noturnas teatralizadas e concertos organizados em colaboração com escolas de música e outros projetos musicais da zona transfronteiriça que se baseiem nos conhecimentos que temos das possíveis formas musicais do Paleolítico. Está igualmente prevista a realização de uma jornada de difusão cultural e turística da Zona Arqueológica de Siega Verde em Salamanca denominada “Paleolítico na rua”.